Blog

06 Nov

Cabines de segurança biológica A1 e A2: Entenda as principais diferenças

As cabines de segurança biológica são geralmente usadas como uma barreira primária no trabalho com agentes que possuem determinado risco biológico, minimizando a exposição do operador, do produto e do ambiente. Nestes modelos, 70% do ar filtrado é recirculado na cabine e 30% do ar filtrado é exaurido. No modelo A1 o ar é exaurido diretamente para o ambiente, e no modelo A2 o ar filtrado é exaurido naturalmente através de dutos para o ambiente externo, sem o auxílio de um exaustor.

As CSB A1 e A2 tem aplicação em diversos setores. As cabines do tipo A1 podem ser utilizadas em laboratórios de análises clínicas, laboratórios microbiológicos, laboratórios de efluentes, laboratórios de controle de qualidade; em análises que podem conter agentes que possuem risco biológico, como a bactéria E. Coli ou BK de tuberculose, por exemplo. As CSB do tipo A2 podem ser utilizadas em laboratórios para análises que contenham agentes de risco biológico em conjunto com baixas concentrações de substâncias químicas não-voláteis e traços de radioisótopos, práticas de segurança devem ser mantidas pois o risco da análise na CSB é semelhante a análise em bancada. 

Muitos agentes de risco biológico requerem o uso de pequenas quantidades de substâncias químicas voláteis e radioisótopos em suas análises, neste caso, as cabines do tipo A1 e A2 são contraindicadas, podendo-se utilizar apenas as cabines do tipo B2. 

Um cuidado especial deve ser tomado em relação ao sistema elétrico da CSB, o manuseio de altas concentrações de substâncias químicas, pode danificar o sistema, causando curtos-circuitos e fogo. O equipamento de escolha para trabalhos que envolvem altas concentrações é a capela de exaustão química.

(Fonte: Fiocruz e CTNBio)

Deixe um comentário


Notícias Relacionadas