Blog

28 Jun

Você conhece os níveis de Biosegurança e como garantir que seu laboratório esteja sempre protegido?

A Biossegurança em sua perspectiva mais ampla está envolvida em diferentes áreas, destacando-se a área da saúde que envolve riscos biológicos. A Biossegurança pode ser definida como um conjunto de medidas e procedimentos técnicos necessários para a manipulação de agentes e materiais biológicos capazes de prevenir, reduzir, controlar ou eliminar riscos inerentes às atividades que possam comprometer a saúde humana, animal, vegetal e o meio ambiente.

A análise de risco deve ser orientada por parâmetros com relação à classificação de risco do agente biológico e ao tipo de procedimento/técnica realizado. Os agentes biológicos que afetam a saúde humana são distribuídos em classes de risco, conforme segue a relação abaixo:

Classe Nível 1 – São agentes biológicos, que têm probabilidade nula ou baixa de provocar infecções no homem ou em animais sadios e de risco potencial mínimo para o profissional do laboratório e para o ambiente.

Classe Nível 2 – Aplica-se a agentes biológicos que provocam infecções no homem ou nos animais, cujo risco de propagação na comunidade e de disseminação no meio ambiente é limitado, não constituindo em sério risco a quem os manipula em condições de contenção, pois existem medidas eficientes.

Classe Nível 3 – Aplica-se a agentes biológicos que provocam infecções, graves ou letais, no homem e nos animais e representam um sério risco a quem os manipulam. Representam risco se disseminados na comunidade e no meio ambiente, podendo se propagar de indivíduo para indivíduo, mas existem medidas de tratamento e prevenção.

Classe Nível 4 - Aplica-se a agentes biológicos de fácil propagação, altamente patogênicos para o homem, animais e meio ambiente, representando grande risco a quem os manipula, com grande poder de transmissibilidade via aerossol ou com riscos de transmissão desconhecido, não existindo medidas profiláticas ou terapêuticas.

A classe de risco 2, por exemplo, aplica-se a laboratórios de análises clínicas, onde o trabalho envolve sangue humano, líquidos corporais, tecidos ou linhas de células humanas primárias onde a presença do agente infeccioso pode ser desconhecida. Os agentes infecciosos são de um espectro de gravidade moderada para a comunidade e gravidade variável a uma patologia humana. Devido aos riscos ocupacionais, principalmente os riscos biológicos, cada laboratório deverá desenvolver um Manual de Biossegurança ou de operações que identifique os riscos que poderão ser encontrados. E que se especifique também as práticas e procedimentos específicos para minimizar ou eliminar as exposições a estes riscos.

Para Biossegurança dos laboratórios de análises clínicas, o POP (Procedimento Operacional Padrão) é fundamental, pois ele tem como objetivo padronizar todas as ações para que diferentes técnicos possam compreender e executar, da mesma maneira, uma determinada tarefa. Esses protocolos devem estar escritos de forma clara e completa possibilitando a compreensão e adesão de todos.

Mesmo com cada laboratório tendo a sua classe e medidas de segurança individual, para a garantir a biossegurança de uma forma geral para todos é necessário que seus funcionários estejam com os EPIs corretos, trabalhando com os EPCs em perfeito estado para uma rotina segura e eficiente.

E para garantir que você e seus funcionários não corram riscos e estejam sempre protegidos, conte com a Lutech e garanta os Equipamentos de Proteção Coletiva ideais para o seu laboratório.


Deixe um comentário


Notícias Relacionadas